Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

riscos_e_rabiscos

.

.

Poema das Mil e Uma Palavras

 

É com muito gosto que aceito este desafio passado pelo meu amigo c911eutopias. Para mim é um autêntico desafio pois não estou muito habituada a escrever poemas. Já sabem que tenho os pés demasiado assentes na terra... mas talvez seja falta de treino de escrita nesta área.

Espero que a minha pequena contribuição não defraude a beleza do peoma que está a ser construido.

Achei este desafio muito giro, uma vez que vai ser feito por múltiplas mãos com diferentes ideias... Vamos ver no que isto vai dar!

Este poema é uma ideia original de José Rios.

 

 (Para conhecerem as regras e objectivos do poema, espreitem aqui!)

 

Aqui vão somente umas palavras soltas

No meio de um sublime devaneio do momento

Uma paixão.... um amor levado ao vento

O prazer de escrever... exprimir o que alimentas.

 

E a sexy hot continuou... 

 

Porém, não pronuncies palavras em vão

Palavras que se perdem

No meio da nossa ilusão

Palavras duras que não cedem


A menina maaf continuou...

 

Palavras que nos unem e criam amizades,

 não estamos sós, somos uma multidão.

criamos um mundo próprio e tão nosso...

todos vocês têm lugar no meu coração...

 

A Miss Bradshaw, continuou....

 

E o coraçao ,esse,bate leve levemente

Por vezes forte outras demente

Que se perde pelo sofrimento da gente

Que nao cede nem ás palavras nem á paixao....

 

Et mon ami L'etranger à continué...

 

...que se respira entre o teu corpo e o meu

alimentáda pelo desejo que em mim sustenho

na ânsia de o libertar, num grito mudo e veloz

que só a ponta dos dedos o poderá ouvir

 

E a Donzela acrescentou...

 

Quem dera ser uma carta de amor

para que tentasses ler

nas entrelinhas do meu corpo só e somente

a verdadeira essência do meu ser

 

E a Complicadinha ofereceu...


Talvez assim ente

 o desespero desta 

que só a tua presença acalma

 pois sem ti o mundo pára, ameaçando ruir...

 

A Coisas do Coração disse


Nesta noite encarvoada

Grito ao vento quero ser tua!

E no despontar da madrugada

ofereço-te a minha alma nua  


A Jianna diz

 

O dia acorda, deixa-o acordar

A noite passa a ser recordação

Esquece as palavras, fala com o olhar

Ouve as batidas do meu novo coração

 

A Bichana continuou

 

Que estava destroçado até ter levantado a cabeça

Percorri-te com o olhar sedento de amor e vi

Em cada parte do teu corpo

O desejo, a paixão.

Senti-me entrar em erupção!


Um dos de mim, deixou...


Incandescente, como estas palavras,

Que tão somente querem unir Almas...

Seja em desejo ou ódio, dor ou paixão, é amor

O que fica no sorriso, deste poema com mil cores 

 

reticência, ...

São as cores que a tua alma e o teu sorriso emanam,

a dor e o cansaço que na minha acolhem,

são os teus sorrisos o calor do meu sol, as asas da cegonha,

que no calor da tarde ao ninho recolhe.

c911eutopias rabiscou...

 

És tu que preenches os meus sonhos daltónicos , com paletas de cor

É contigo que falo com o olhar, no mais profundo silencio

numa linguagem que só duas almas em perfeita comunhão entendem

É em ti que me quero perder, apenas para me encontrar .....

 

 

Pessoinha suspirou...

 

Pudera o tempo parar,

Para nos meus braços junto a mim te manter.

E assim jamais voltasse a chorar

A tristeza de te perder!

 

Este desafio será bem entregue nas mãos da minha amiga Crisálida, que irá dar continuidade a esta ideia brilhante do Poema das Mil e Uma Palavras!